.
Onde me perco nas fantasias que me assolam a mente....

.

18 de março de 2009

Praia - Parte II

(ela)

Ele de facto tinha um sorriso maravilhoso, uns lábios me que prendiam o olhar, e um olhar tão penetrante que cada vez que os nossos olhos se cruzavam...sentia-me despida. "Este homem mexe comigo de forma estranha", pensei.
Por momentos, aos fazer desenhos na areia, as nossas mãos tocaram-se...e um arrepio atravessou o meu corpo. Tentei manter-me calma e indiferente, mas ele apenas sorriu e deixou que a sua mão continuasse sobre a minha.
Pensamentos dos mais variados assaltaram a minha mente, e só eu sei o esforço que fiz para não dar a entender nenhum deles.
Ele, de forma muito terna, pega numa madeixa de cabelo meu e coloca para trás das minhas costas. "Gosto de olhar para o teu rosto" disse-me num tom de voz que me deixou totalmente desarmada. Apenas consegui sorrir e dizer..."o teu rosto também me agrada muito...".
Naquele momento dava tudo para conseguir entrar na cabeça dele, de saber o que ele estava a pensar, pois eu percebi que já estava a abrir um pouco demais a minha "moldura".
Sopra uma brisa mais forte, e a camisa dele abre-se. Olho para o seu tronco e tremo. Não desvio o olhar, pois quis que ele percebesse que o observei. O tronco dele...fez-me arrepiar.
.


(ele)
.
Tendo-se ela sentado perto de mim, estranhamente (ou talvez não…), passei a sentir umas palpitações ainda mais intensas.
Perguntava-me a mim próprio “o que se passa comigo? Tem calma!”, mas quietude era coisa que eu não tinha. Afinal a sua presença tão próxima estava-me a afectar.
Ainda que com alguma timidez, eu ia-a observando mais em pormenor. Reparei que tinha uma tatuagem num local do corpo que desde logo me atraiu a atenção, tendo prontamente pensado “como eu gostaria de a beijar ali naquele exacto local”.
Olhei com profundidade para dentro seus olhos e gostei do que vi…, contemplei uma mulher sensual, timidamente provocante e com um ar doce.
Inevitavelmente contemplei o seu corpo e constatei as suas formas curvilíneas, um olhar que emanava alegria e um sorriso lindo. Nesta altura em consequência duma leve brisa de vento, uma madeixa de cabelo atravessa-se-lhe na cara e eu logo aproveito para o ajeitar passando a mão pelas suas costas, tendo tido imenso prazer ao sentir o contacto com a sua pele aveludada. “Gosto de olhar para o teu rosto” foram as palavras sentidas que espontaneamente me saíram da boca enquanto a olhava intensamente olhos nos olhos.
Começava-me a sentir perdido de desejo (pensava “será que ela se sente atraída por mim da mesma forma que eu por ela? Será que se eu for um pouco mais atrevido ela se aborrecerá comigo? Que atitude devo eu tomar? Estou a ficar louco! ”

4 comentários:

ZeManel disse...

Bem, bem… a “conversa” vai animada.
Estou na expectativa de percurso futuro deste “diálogo” a dois (parece-me que daria mesmo jeito o aparecimento de um outro/a cachorro/a para o cão ir brincar…).
Tou a gostar! ;))

susaninha disse...

Hummm... estou sempre a passar aqui para saber mais, estou a adorar, e estou na espetativa de saber o que se desenrola.

Isto esta a aquecer...:))))

martinha disse...

Sabem o que gostava eu na próxima era sentir na vossa escrita que um de vocês avança com o que sente... com o que talvez quereria mesmo... sentir reality show!!!! que tal??

pronto, ok não falo mais :))))

fica bem
martinha

martinha disse...

Ah esqueci-me de uma coisita

que tal mudar a música?
não é que não goste desta!! gosto imenso mas coloca uma... olha sei lá coloca outra LLooLL

fica bem
martinha